Redução do valor dos activos, de transacções e de linhas de crédito são desafios para os fundos imobiliários


No relatório de contas do primeiro semestre deste ano salienta que 2011 foi um ano difícil para o sector imobiliário e para os FII, "que também são afectados pelos efeitos da incontornável desalavancagem do sistema financeiro nacional, tendência que se mantém em 2012".

Numa conjuntura recessiva e de problemas de liquidez da banca, o grupo Orey destaca três desafios que os fundos de investimento imobiliário enfrentam. "O valor dos seus activos está pressionado em baixa; o volume de transacções reduzido para mínimos históricos; e as linhas de crédito ainda existentes estão a ser reduzidas, ou canceladas, não tendo a banca nacional capacidade financeira para prorrogar a maturidade da maioria dos empréstimos existentes".

No primeiro semestre deste ano, a Orey Financial IFIC geria quatro fundos imobiliários: o Fundo Incity (fundo especial de investimento imobiliário fechado) "entrou em liquidação em Dezembro de 2011, estando a sua conclusão prevista para Agosto de 2012", refere a instituição; o fundo REF – Real Estate Fund (FIM fechado) "continua em liquidação" e os restantes dois fundos - Orey Reabilitação Urbana (FIM fechado) e Orey CS (fundo especial de investimento imobiliário fechado) - "foram prorrogados ainda em 2011", acrescenta.O fundo especial fechado Clavis foi liquidado em 30 de Dezembro do ano passado.

Quanto ao valor dos activos sob gestão ascendia, no final de Junho, a 25 milhões de euros, o que representa uma descida de 14,1% face aos 29,1 milhões registados em igual período do ano passado, sendo que a liquidação do Fundo Clavis "contribuiu decisivamente para a evolução deste indicador", refere o grupo Orey. 

Lo más leído