Análise Morningstar: PIMCO GIS Total Return Bond


O fundo é gerido por Bill Gross e pela forte equipa de analistas da PIMCO, conhecida como uma das melhores na sua área. Temos uma opinião bastante positiva acerca desta equipa: Gross e os seus analistas receberam os premios Morningstar para Melhor Gestor de Renda Fixa da Década de 2000-2009 e para melhor Gestor de Renda Fixa do Ano de 1998, 2000 e 2007. As decisões de investimento são tomadas por consenso.

PIMCO GIS Total Return Bond Fund E Acc USD
Categoria: Obrigações taxa fixa USD
Rating qualitativo Morningstar: Gold
Património: USD 26 010,72 milhões
Rendibilidade a um ano: 11,67%

Gross utiliza uma combinação de previsões macroeconómicas e uma análise bottom-up para determinar taxas de juro, curvas de rendimento, moeda, país, setor e títulos individuais. Gross fundamenta-se há vários anos nas decisões tomadas ao nível de cada setor visto que gere um enorme número de ativos transversais a diversas contas com mandatos iguais ou semelhantes a este.

A estratégia baseia-se na utilização de uma carteira bem diversificada, mesmo que ocasionalmente Gross faça algumas apostas arriscadas. Por exemplo, em 2008, no meio de toda a turbulência do mercado, ele conseguiu construir uma posição considerável nas rendas fixas com o apoio do Governo, tais como dívidas hipotecárias suportadas por agências (que chegaram a perto de 60% dos activos). Esta posição deu os seus frutos no final de 2008 e contribuiu para o forte desempenho do fundo ao longo desse ano.

O gestor há muito que “apimenta” o portfólio com apostas em setores como “High Yield”, dívida soberana de mercados emergentes ou desenvolvidos fora dos E.U.A . e em algumas jogadas no câmbio monetário, que não figuram no benchmark Barclays Capital U.S Aggregate. 
Nos últimos anos Gross tem jogado muitas vezes fora dos índices de mercados, favorecendo assim alguns mercados emergentes, como Brasil e México, pois acredita que a saúde financeira destes mercados é mais robusta e com maior tendência para se desenvolver que muitos dos mercados desenvolvidos.

Mas enquanto o fundo tem vindo a usufruir da sua flexibilidade últimamente (2011), era uma mistura de apostas em durações e em curvas de rendimento ( ferramentas bastante usadas aqui e em outros fundos ) as que lhe causaram mais problemas em 2011. É verdade que a participação do fundo nos mercados emergentes (13% em setembro 2011) causou problemas no sell-off do terceiro trimestre mas a nula exposição do fundo ao Tesouro americano, revelou-se particularmente prejudicial quando os seus juros da dívida caíram e por tanto as suas rendabilidades subiram acima de todos os outros setores. Apesar da má imagem refletida pelo ranking deste ano 2011, o fundo permanece entre os melhores da categoria a longo prazo. Já aconteceu o fundo ter ficado para trás, uma situação pouco comum, e quando isso ocorreu, Gross encontrou uma maneira de voltar a alcançar alguns dos melhores desempenhos na categoria de renda fixa USD diversificada.

Ainda que acreditemos que as taxas para os pequenos investidores poderiam ser mais competitivas dadas as potenciais economias de escalda do fundo, a nossa classificação é de ouro.
Papel da Carteira
Como um fator estabilizador para os Investidores Asiáticos e Europeus, este fundo proporciona uma exposição bastante diversificada, ainda que com especial enfoque no mercado Americano.
Sumário
Pessoal: Bill Gross tem sido o gestor do fundo desde o início (para a versão inicial dos EUA – 1987 ).
Firma Gestora: Valorizamos os investimentos significativos em pesquisa da PIMCO e a sua capacidade de atrair pessoal de primeira linha.
Processo: As decisões de investimento são dominadas pelas políticas top-down (do topo para  a base). A diversificação da carteira é elevada.
Desempenho: A longo prazo, o fundo apresenta-se com uma melhor rentabilidade em comparação com os seus pares .
Preço: TER (rácio de gastos totais ) do fundo é de 40 pontos base mais caro do que a média da categoria.

Lo más leído